Carregando...
Enviando...
INSTITUTO CENTRO DE CAPACITAÇÃO E APOIO AO EMPREENDEDOR
Data: 10 de Fevereiro de 2017

Voltar

Aumento do índice de desemprego no país estimula empreendedorismo

*Microempreendedora durante a 27ª Feira Nacional de Artesanato (FNA)

A marcha lenta da economia global está aumentando a agitação social pelo mundo e o Brasil, com a piora no mercado de trabalho local, alimenta esse mal-estar, aponta relatório da Organização Mundial do Trabalho (OIT). Segundo a organização, o crescimento econômico mundial continua decepcionante, sem motivar a criação de empregos suficientes para compensar o número de pessoas que ingressam no mercado de trabalho.
Segundo o estudo "Perspectivas sociais e do emprego no mundo - Tendências de 2017", de cada 3 novos desempregados no mundo em 2017, um será brasileiro. A OIT estima que o Brasil terá 1,2 milhão de desempregados a mais na comparação com 2016, passando de um total de 12,4 milhões para 13,6 milhões, e chegará a 13,8 milhões em 2018.
Em termos absolutos, o Brasil terá a terceira maior população de desempregados entre as maiores economias do mundo, superado apenas pela China e Índia. Na China, a OIT prevê que o número subirá de 37,3 milhões para 37,6 milhões em 2016. Já na Índia, de 17,7 milhões para 17,8 milhões.
 
Previsão de taxa de desemprego de 12,4%
Segundo dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), o desemprego está em 11,9%, índice do trimestre encerrado em novembro de 2016, com 12,1 milhões de pessoas nesta situação.
A OIT projeta o índice de desemprego no Brasil neste ano em 12,4%, um ponto acima do percentual de 2016. Para 2018, a projeção também é de 12,4%. O relatório mostra ainda que as formas vulneráveis de trabalho – como trabalhadores familiares não remunerados, autônomos e empreendedores – devem representar mais de 42% da ocupação total, ou seja, 1,4 bilhão de pessoas em todo o mundo em 2017.
"O crescimento econômico segue decepcionante e é menor do que o esperado, tanto em nível quanto em grau de inclusão. Isso delineia um quadro preocupante para a economia mundial e sua capacidade de criar empregos suficientes, muito menos empregos de qualidade. A persistência de altos níveis de formas vulneráveis de emprego, associadas a uma evidente falta de avanços na qualidade dos empregos – mesmo em países onde os números agregados estão melhorando – é alarmante. Temos de garantir que os ganhos do crescimento sejam compartilhados de forma inclusiva", afirmou o Diretor Geral da OIT, Guy Ryder.
Outras tendências
O que deve ocorrer no futuro, na visão dos especialistas, é um impacto dessa movimentação na taxa do empreendedorismo por necessidade, aquele buscado quando não existe melhor opção de trabalho ou renda. O risco está na tomada de decisões precipitadas e sem planejamento e o desafio é transformar necessidade em oportunidade.
Por aqui, 31% da população se enquadra em um perfil “situacionista”, segundo pesquisas. Isso quer dizer que apesar de muitos sonharem em ter o próprio negócio, na prática, eles só o fazem se de alguma forma forem levados a isso – pelo desemprego ou por uma oportunidade que ‘caiu no colo’.
“Na nossa visão, não é necessariamente ruim o fato do mercado não estar aquecido e haver necessidade adicional de abrir um negócio. Tudo depende do que o empreendedor faz com isso. De forma geral, a necessidade pode se tornar uma grande oportunidade. Cabe ao empreendedor identificar o desafio.”, destaca Pamella Gonçalves, diretora de Pesquisa e Mobilização da Endeavor
Alavancando resultados positivos
O Centro CAPE acredita na importância do planejamento e das metas para iniciar um negócio, por isso ministra, há mais de duas décadas, cursos de capacitação para microempreendedores e profissionais das mais diversas áreas. O conteúdo dos cursos oferecidos pelo Centro CAPE é norteado pela consagrada metodologia Competência Econômica baseada na Formação de Empreendedores (CEFE), aplicada com sucesso em mais de 60 países.
Os projetos desenvolvidos pelo instituto abrangem as áreas de educação empreendedora, de treinamento e capacitação de empreendedores das mais diversas áreas. Por meio do Portal Centro CAPE Online, são oferecidos cursos a distância na área de educação empreendedora, além dos treinamentos presenciais realizados em sua sede.
Entre eles, está o CANVAS, que tem por objetivo auxiliar empreendedores a elaborarem seus modelos de negócios de forma fácil e intuitiva. O aplicativo adota um quadro com nove áreas estratégicas distintas, que servem como um ponto de partida para que empresários possam descrever seus negócios. Há também o curso de Gestão Comercial, seminário prático para auxiliar o treinamento, a motivação e a manutenção de equipes de vendas de alto nível de qualidade humana e técnica, atuando em alta performance e alavancando resultados positivos.
Todos os cursos do Centro CAPE capacitam empreendedores através de técnicas e ferramentas utilizadas a partir de um estudo criterioso que compreende o mercado, o produto e a divulgação direcionada.
 
Conheça: Empreendedorismo Centro CAPE